quarta-feira, 20 de agosto de 2014

"Esterilizando" o bebê

Hoje vamos falar de um assunto que já me perguntaram varias vezes nos comentários do blog, sobre a esterilização das coisas do bebe.
Vejo muita gente comprando aparelhos de esterilização dos utensílios do bebe, ficando neurotica de verdade com isso, colocando tudo pra esterilizar varias vezes ao dia, sempre que uma chupeta cai no chão, todas as vezes que o bebe mama, etc... 
Eu entendo que isso reflete o sentimento que toda mãe tem de querer proteger seu filho, de não querer q ele entre em contato com nada que possa estar contaminado, pra evitar que ele fique doente, mas temos que pensar direitinho no funcionamento das coisas, pra não entrarmos nessas neuras!!
Eu nunca utilizei nenhum desses aparelhos, então, fui dar uma pesquisada no assunto. Não encontrei nos livros, nem em artigos, sobre a necessidade de esterilização, e, pensando bem, isso faz muito sentido. Vamos entender.
A chupeta do bebê caiu no chão, esta, teoricamente, contaminada, certo? Você vai lá e coloca a chupeta para esterilizar no seu aparelho, ou mesmo na fervura. Acabado o processo, esta tudo estéril e você vai e retira a chupeta da água fervente ou do seu aparelho esterilizador. Pronto. Acabou a esterilidade da chupeta. 
Independente do que você use para retirar a chupeta do processo de esterilização, seja um utensílio próprio, seja suas próprias mãos, nada disso esta estéril.Para manter tudo esterilizado, você teria que utilizar uma luva estéril e estar paramentada como num centro cirúrgico. Ou seja, você esterilizou apenas para contaminar tudo de novo assim que o processo terminou. 
Socorro!!!! Então, estou dando chupeta contaminada para o meu bebe? 
Sim, mas isso não é ruim.
Muito mais importante do que esterilizar tudo é manter tudo limpo. Higienização é diferente de esterilização. Lavar todos os utensílios do bebê, bicos, chupetas, mamadeiras, mordedores, etc é muito importante e deve ser feito diariamente ou sempre que a criança utilizar.
Mas, não podemos ficar neuróticos. O contato com os germes presentes no ambiente é importante para a formação da imunidade do indivíduo. E quanto mais velho fica o bebe, maior é o seu contato com esses germes. Quando ele só fica no colo, é importante lavar bem tudo que cair no chão, afinal, ele ainda não tem contato com esses germes. 

A partir do momento que ele fica sentadinho e você coloca ele no tapete da sua sala, brincando com os brinquedinhos, ele com certeza vai levar a boca alguma coisa que estava no chão. Isso é a evolução natural e é importante para o desenvolvimento neurológico e motor dele. 

E quando engatinhar, vai encontrar um brinquedo sujo embaixo do armario e colocar na boca. E aí, você pensa, do que vale a chupeta"esterilizada"? 
E vamos nos lembrar que nós também temos que estar limpinhos! Mãos lavadas com agua e sabão, sempre! Porque os pequenos adoram colocar a boca na gente! 
Com tudo isso, o que eu quero dizer é que, para mim, esses aparelhos continuam desnecessários. Se tudo estiver sempre limpo com o bom e velho detergente, você estará prevenindo as principais doenças de transmissão fecal-oral. Mas não estará livre de seu bebe pegar uma "virose", pois esses vírus tem outros meios de chegar até o organismo de seu filho, infelizmente.
Os aparelhos de esterilizar, pra mim, são dessas "neuras" de mãe que eu tento evitar. Para mim, agua e sabão continuam sendo a melhor opção.

Um comentário:

Érika Mozer disse...

Aqui em casa nunca usei aparelho algum. A higienização e limpeza são as medidas utilizadas. Ensinei meu filho a importância de lavar as mãos. Miguel mama no peito e isso, sem dúvida, é muito prático e dispensa todos acessórios, mas chupa sua chupeta somente à noite (ele não curte ela no período diurno...risos). Concordo com você Maira. Tudo sem neura, com amor e liberdade em viver e deixar viver.